Buscar
  • Gogo Cristo Neto

Eu sou bom? Da auto imagem


Aquela modelo linda do perfume na tv! E aquele cara na academia hein? Humm, que mulher magrinha. Nossa, que gordo feio!



Sabe, o ser humano tem todo direito do mundo de achar algo feio ou bonito mas não tem direito algum de expressar isso ao outro com o intuito de modificar, mudar, ferir ou humilhar.

Desde pequenos somos doutrinados a encontrar modelos bonitos, a ser o contrário e a continuar seguindo essas frustrações. Este é o ciclo do ser humano: Nascer, se frustrar com o desligamento do seio da mãe, crescer, ser alvo da frustração e objetificação alheia, reproduzir, incentivar seus filhos a serem o substrato de toda produção alienada à própria vida, envelhecer e se arrepender de não ter sido genuíno e morrer numa lápide com frases lindas que descrevem o que a pessoa NUNCA quis ser.

Somos influenciados por tantas pessoas, por tantos sofredores que em algum momento os desejos alheios passam a ser os nossos e isso cria dentro de nós, monstrinhos alimentados a torto e a direito.


Nunca somos bons o bastante, por isso devemos competir em tudo. Nunca estamos satisfeitos com nada que não seja ter tudo, inclusive a atenção das pessoas. Nosso corpo nunca é bom, sempre precisamos perder aqueles 5 quilinhos pra ficar bem pro outro. Nós temos que fazer na hora que não queremos porque “e se perdermos” nosso parceiro / parceira? Nós TEMOS que comer tantas calorias por dia porque em algum momento disseram que isso é o certo e não podemos questionar sobre nossa adaptação. Nós que não temos olhos claros perdemos visibilidade. Nós que temos olhos claros somos lindos, mesmo com uma arma na mão.

Nota como a auto imagem é sim produto da união da vivencia de inúmeras pessoas e que talvez a sua auto imagem seja uma distorção criada por você mesma, baseada na visão dos que te cercam?


A pergunta que deixo é: Você é feliz e plena assim?


Agora o outro lado.


Você já percebeu como existem pessoas que não tem estes “complementos sociais de aceitação” e tem um magnetismo impressionante? E note que o magnetismo não é aquele que te deixa “gostosa”, é aquele que mostra pro mundo como você é tão auto confiante que se diferencia do resto por ser quem é. Estas pessoas sabem, de algum modo, que ser elas mesmas talvez seja a chave pra não se importar com imposições sociais. Talvez seja o “poder” que elas tem, sabe?


Elas simplesmente são, não se preocupam com a roupa amassada ou com o dinheiro que tem no bolso. São pessoas loiras, morenas, ruivas, altas, baixas, fortes, fracas, olhos azuis, olhos castanhos, olhos verdes, de TODA etnia. São pessoas como você que lê! Elas sofrem com casamentos abusivos, com o sofrimento dos outros. Elas sentem a dor do outro como você sente e mesmo assim, não mudam sua essência pra agradar o outro.

E veja que isso não é uma critica a você de modo algum. Estou mostrando que EU era assim e que quando resolvi ser eu mesmo, de camiseta amassada e sonhando com o “azul dos olhos do céu”, fui aceito por mim mesmo.

Talvez seja a hora de você olhar no espelho, se despedir do seu antigo eu, dependente de outros e pronta pra dar um baita abraço na sua nova versão. O que acha?


Posso te ajudar com isso. Entre em contato e começe sua nova versão agora mesmo.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo