Buscar
  • Gogo Cristo Neto

Violência contra a mulher

Vivemos num cenário caótico e violento. Isso já não é de hoje.


Pessoas subjulgadas e humilhadas, famílias se desfazem por falta de carinho, pessoas sofrem por inúmeras formas de abuso. Durante o período que vivemos, o lado “animal” do ser humano está sobressaindo e os ânimos estão cada vez mais aflorados. São tempos difíceis.

Noto que a violência é um objeto na sala, grande e bem pintado, chamando atenção de quem entra mas por ser da casa, ninguém julga sua profundidade ou sua existência. Ele está ali, sempre esteve.

Há um aumento nos casos de violência contra a mulher nesta época de pandemia e quarentena, isso é um fato e se você ainda não sabia, agora sabe.

E quais os motivos que levam à violência? Ciúmes, abuso de autoridade, ego, quadros psiquiátricos... São inúmeros motivos na verdade e a maior parte, esmagadora (mais de 90%) são causadas por parceiros / companheiros ou ex companheiros.

Quando falamos de violência, imediatamente nos vem à cabeça a violência física, que é quantificada através dos números de disque denúncia e de órgãos de acolhimento da mulher e da criança mas a maior, esmagadora forma de violência é a verbal.

Humilhações, ameaças, insultos, isolamento forçado, cárcere privado perseguição, injúria, difamação, abuso econômico, não te deixa trabalhar, não respeita seu espaço, te humilha quando você precisa de algo, exige praticas sexuais que você não quer, te nega a escolha de métodos contraceptivos e de preservação da saúde... São muitas, muitas formas de violência travestidas de acolhimento, de carinho, de cuidado.

E se ainda há alguma dúvida sobre o que é violência ou não, deixo duas partes importantes da “Lei Maria da Penha”, de 2006:

“A violência psicológica [é] entendida como qualquer conduta que lhe cause [à mulher] dano emocional e diminuição da autoestima ou que lhe prejudique e perturbe o pleno desenvolvimento ou que vise degradar ou controlar suas ações, comportamentos, crenças e decisões, mediante ameaça, constrangimento, humilhação, manipulação, isolamento, vigilância constante, perseguição contumaz, insulto, chantagem, ridicularização, exploração e limitação do direito de ir e vir ou qualquer outro meio que lhe cause prejuízo à saúde psicológica e à autodeterminação.”
“A violência moral [é] entendida como qualquer conduta que configure calúnia, difamação ou injúria.”

Você vê como o assunto deve realmente ser discutido para que as novas gerações sejam conscientizadas e que em algum momento estes atos de violência parem?

Você já viu algum ato de violência? Soube de algum caso próximo? Você já foi violentada de algum modo?


Disque denúncia: 180 Polícia Mílitar: 190

Denuncie.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo